Bolsonaro é detonado após lamentar morte de Paulo Gustavo

Após se manifestar sobre a morte do ator e humorista Paulo Gustavo, de 42 anos, mais uma vítima da COVID-19 no país, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vem sendo alvo de críticas. A nota de pesar publicada por ele no Twitter na madrugada desta quarta-feira (5/5) repercutiu mal entre opositores e internautas.

“Meus votos de pesar pelo passamento do ator e diretor Paulo Gustavo, que com seu talento e carisma conquistou o carinho de todo Brasil. Que Deus o receba com alegria e conforte o coração de seus familiares e amigos, bem como de todos aqueles vitimados nessa luta contra a COVID”, publicou Bolsonaro.

A postagem é acompanhada por uma foto do ator segurando uma imagem da Santa Dulce dos Pobres, de quem era devoto. Ele também fazia doações para as Obras Sociais Irmã Dulce, e foi homenageado pelo santuário.

Até o início da manhã, o post de Bolsonaro tinha 23,8 mil retweets e 34,4 mil respostas, boa parte delas contra o presidente e relembrando o posicionamento dele ao longo do último ano ao minimizar a gravidade da pandemia.

“Que Deus em sua infinita misericórdia consiga te perdoar, dificilmente nós aqui na Terra vamos”, respondeu o deputado federal André Janones (Avante-MG), que foi criticado por apoiadores do presidente, entre eles o deputado estadual de Minas Bruno Engler (PRTB), que associou a antiga filiação de Janones ao PT à posição dele.

Há várias horas, “genocida”, “canalha”, “hipócrita”, “desgraçado” e outros xingamentos aparecem entre os assuntos mais comentados do Twitter, além de “11 vezes”, que teria sido o número de recusas do governo brasileiro a ofertas da vacina contra a COVID-19, segundo a coluna de Octavio Guedes no portal G1, publicada no fim do mês passado. “Mais de 400” também está nos Trending Topics, citando o número de mortos pela doença no Brasil. Também há reclamações contra quem não está seguindo as medidas de distanciamento. Veja algumas mensagens:

Sem citar Bolsonaro diretamente, o escritor Paulo Coelho também foi parar nos Trending Topics ao apontar os “assassinos” de Paulo Gustavo por meio de frases, uma delas do presidente, que no ano passado chegou a classificar a COVID-19 como uma “gripezinha”, e se posiciona contra o lockdown e outras medidas de restrição para conter a pandemia.

Após a mensagem, que o tornou alvo de bolsonaristas na rede, Paulo Coelho retuitou a jornalista Milly Lacombe, que citava o presidente e o ministro Paulo Guedes.

Créditos: Estado de Minas